Curcuma longa

Administração
Administração

Uso Oral

Icone princípio ativo controlado
Controlado

Sim

Tem uma receita com o Curcuma longa? Cote agoraCotar Receita
Indicação

? Antioxidante; ? Antiinflamatório; ? Anti-reumático; ? Antitumoral; ? Hipercolesterolemia; ? Dispepsia não-ulcerosa; ? Dismenorréia; ? Dor muscular.
A Cúrcuma tem sido relacionada como sendo um potente anti-inflamatório e antioxidante, o qual pode ser útil em doenças reumáticas (artrite reumatóide). Em medicina Ayurvédica (medicina tradicional indiana), o rizoma de cúrcuma tem sido usado por séculos como tônico para problemas gastrointestinais. Ele também tem sido usado topicamente em várias doenças de pele.

Posologia

O extrato de Cúrcuma é padronizado em termos de curcumina (curcuminóides). O extrato de Cúrcuma é padronizado para conter no mínimo 95% de curcuminóides. A dose usual é estabelecida em termos de curcumina. A dose usual do extrato seco padronizado (95%) varia de 300 a 600mg 3x ao dia, administrados com alimentos.

Interações medicamentosas

Não informado

Baseado na sua atividade farmacológica, a Cúrcuma é contraindicada na obstrução biliar. Deve ser utilizado com precaução em indivíduos com doenças gastrointestinais (úlcera péptica, colite ulcerativa, Doença de Crohn). Pode potencializar as terapias hipolipemiantes. Pode alterar a agregação plaquetária. Baseado na sua atividade farmacológica, esta planta pode ser contraindicada para indivíduos com sangramento ativo (ex. úlcera péptica, sangramento intracranial). Deve ser utilizada com precaução em indivíduos com histórico de sangramento, distúrbio hemostático ou problema hemostáticos relacionados com medicamentos. Deve ser utilizado com cautela em indivíduos que fazem uso de medicações anticoagulantes, incluindo varfarina, ácido acetilsalicílico, AINEs, agentes antiplaquetários (ex. ticlopidina, dipiridamol). Seu uso deve ser descontinuado pelo menos 14 dias antes de procedimentos cirúrgicos ou dentais.

Não informado

-

É importante contar com uma boa fermácia de manipulação para desenvolver o seu produto. Clique aqui para encontrar a melhor farmácia de manipulação em São Paulo ou em qualquer região do Brasil, pelo melhor preço.

1. Thamlikitkul, V.; Bunyapraphatsara, N.; Dechatiwongse, T.; et al. Randomized double blind study of Curcuma domestica Val. For dyspesia. J. Med. Assoc. Thai. 1989;72:613-620. 2. Ammon, H.P.; Wahl, M.A. Pharmacology of Curcuma longa. Plant Med, 1991, 57(1):1-
7. 3. Ammon, H.P.; Safayhi, H.; Mack, t.; et al. Mechanism of Anti-inflamatory Actions of
Curcumin and Boswellic Acids. J Ethnopharmacol, 1993; 38(2-3):113-9. 4. Smith, WA; Freeman, JW; Gupta, RC. Effect of chemopreventive agents on DNA aduction induced by potent mammary carcinogen dibenzo[a,1]pireno in the human breast cells MCF-7. Mutat Res. 2001;480-481:97-108. 5. Bratman, S.; Girman,A.M. Handbook of Herbs and Supplements and their
Therapeutic Uses. 1st ed. St. Louis: Mosby, 2003. p.501-504. 6. Oetari, S.; Sudibyo, M.; Commandeur, JN; et al. Effects of curcumin on cytochrome P450 and glutathione S-transferase activities in rat liver. Biochem Pharmacol .1996;51:39-45. 7. Alonso, J. Tratado de Fitofármacos y Nutracéuticos. 1a ed. Rosario- Argentina:
Editorial Corpus, 2004.p.395-403. 8. Krinsky, D.L. et al. Natural Therapeutics Pocket Guide. 2nd ed. Hudson: Lexi-Comp
Inc, 2003. 9. Simões, C. M. O. et al. Farmacognosia – da planta ao medicamento. 4a edição, 2002. 10. Batistuzzo, J. A. O. et al. Formulário médico Farmacêutico. 2a edição, 2002. 11. Schulz, V. et al. Fitoterapia Racional. 4a edição, 2002.

Receba as melhores ofertas para sua receita de manipulados!

Envie sua receita!
Ilustração de um mini mapa com marcador