Clindamicina Hcl

Administração
Administração

Uso Oral

Icone princípio ativo controlado
Controlado

Sim

Tem uma receita com o Clindamicina Hcl? Cote agoraCotar Receita
Indicação

Cloridrato de clindamicina é um antibiótico, indicado no tratamento de diversas infecções causadas por bactérias, entre as quais: do trato respiratório superior (traqueia, seios da face, amígdalas, faringe, laringe, ouvido) e inferior (brônquios, pulmões); da pele e partes moles (infecção da pele e tecidos próximos, como os músculos, tendões, etc.); da pelve (região inferior do abdome) e trato genital feminino (útero, trompas, ovário e vagina); de dente; nos ossos e articulações (conhecidas popularmente como juntas).

Posologia

Cloridrato de clindamicina deve ser utilizado de acordo com o receitado pelo médico de acordo com o diagnóstico. A duração do tratamento depende de tipo de (local e agentes causadores) e gravidade da infecção.
Adultos: dose diária recomendada é de 600 – 1.800 mg, dividida em 2, 3 ou 4 doses iguais, administrado com um copo cheio de água para evitar irritação no esôfago.
Idosos: não é necessário ajuste da dose em pacientes idosos com a função hepática e renal normal (ajustado pela idade).

Interações medicamentosas

Informe seu médico se estiver fazendo uso de outros medicamentos, ele precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, isso se chama interação medicamentosa e pode acontecer se cloridrato de clindamicina for usado com: (1) eritromicina (um antibiótico que pode diminuir o efeito de cloridrato de clindamicina), (2) medicamentos que agem bloqueando a comunicação neuromuscular (interrupção da transmissão dos comandos dos nervos aos músculos) e (3) rifampicina (um antibiótico que também pode diminuir o efeito de cloridrato de clindamicina, monitorar a perda de eficácia. Se você não sabe se usa ou não este tipo de medicamento, pergunte ao seu médico.

Uso adulto

Reação comum: colite pseudomembranosa (infecção do intestino por bactéria da espécie C. dificille), eosinofilia (aumento de um tipo de células de defesa no sangue: eosinófilo), diarreia (aumento no número e na quantidade de fezes eliminadas diariamente), rash maculopapular (erupções de pele), exame de função hepática anormal (alterações dos testes laboratoriais que avaliam a função do fígado).
Reação incomum: disgeusia (alteração do paladar), dor abdominal, vômito, náusea (enjoo), urticária (alergia de pele).
Reação rara: eritema multiforme (manchas vermelhas, bolhas e ulcerações em todo o corpo), pruridos (coceira).

Cloridrato de clindamicina é contraindicado para pacientes que já apresentaram hipersensibilidade (reação alérgica) à clindamicina ou à lincomicina (tipo de antibiótico). Não deve ser usado para o tratamento de meningite.
Contraindicado para gestantes e mulheres que estejam amamentando.

“CLORIDRATO DE CLINDAMICINA É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA”
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA. SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
“SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO”.

ANVISA, 2017. Lista de medicamentos referência. Disponível em: http://http://portal.anvisa.gov.br/registros-e-autorizacoes/medicamentos/produtos/medicamentos-de-referencia/lista. Acesso em junho de 2017.
DALACIN C. Laboratório Pfizer. Bula do medicamento. Disponível em: Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp. Acesso em junho de 2017.

Receba as melhores ofertas para sua receita de manipulados!

Envie sua receita!
Ilustração de um mini mapa com marcador